sexta-feira, 22 de julho de 2016

Para cada escolha, uma renúncia

Infelizmente não podemos ter tudo que queremos. Para escolher algum caminho, precisamos abrir mão de outro e quando tomamos decisões baseadas em nossos valores conduzimos as respostas com mais facilidade e possibilidade de acertos.

Existem cinco valores que significam muito para cada ser humano. Muito acima da linha da média de acordo com cada percepção. Assim, podemos afirmar que os valores humanos vão muito além de simples valores morais constituindo um conjunto de regras estabelecidas para uma convivência saudável dentro de uma sociedade, mas um elemento que norteia comportamentos e afeta diretamente a vida das pessoas. Quando ferimos algum de nossos valores, porque cedemos por algum motivo qualquer numa determinada situação, a ferida fica lá, instalada bem no meio do peito marcada como ferro em brasa.

É difícil abdicar de algumas coisas que parecem extremamente atraentes num primeiro momento, mas que significam apenas momentos. Quando resistimos e enfrentamos os desvios que a vida apresenta para que o caminho seja desconstruído, precisamos nos perguntar para onde estamos indo e aonde queremos chegar de modo que essas respostas estejam alinhadas aos nossos valores.

Se eu tenho a família como um valor importante para mim, devo desviar de todas as coisas que coloquem em risco meu convívio familiar. Se para mim integridade é algo fundamental, não posso ir contra ao que considero atitudes de uma pessoa íntegra. Se a minha individualidade é indispensável, preciso me fazer respeitar e utilizar meu tempo da maneira que achar melhor sem precisar agradar os outros antes de agradar a mim mesma. Se prezo pelo aprendizado contínuo, não posso deixar de buscar conhecimento e alimentar meu cérebro com informações novas a cada dia. Se manter a saúde em dia é importante para mim, não posso simplesmente ignorar que preciso fazer exercícios físicos regularmente e manter uma alimentação saudável. Enfim…. São nossos valores que determinam nossos resultados. Quando sabemos quais são eles e o quanto respeitá-los nos conduz pelo caminho de melhores resultados, pensamos nos cinco principais deles em todos os momentos de decisão e aí conseguimos fazer a escolha certa.

Se cada escolha é uma renúncia, substituir ilusões efêmeras por resultados duradouros, mesmo sem prazer imediato, faz com que possamos olhar para trás livre de remorsos e orgulhosos de nossos feitos. Só assim para dizer que a vida realmente valeu à pena. Quando não deixamos rastros de arrependimento no caminho. Como dizia Pablo Neruda: "Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências”. 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

O poder escondido em sua própria história

Vivemos num mundo onde o tempo atropela questões que passam despercebidas por nós. Vivemos num círculo de regras impostas por pessoas que um belo dia determinaram o que seria o certo e o errado dentro de uma sociedade machista baseada por “n” fatores na história da humanidade. Mas a roda girou, o tempo passou e nada mais é como antes. Porque então algumas coisas seguem firmes como crenças limitantes que nos impedem de avançar em direção ao que nos faz feliz?

Muitas de nossas crenças são verdades de nossos antepassados que acreditavam em outras verdades sem o menor cabimento de seus antepassados. Lá pelas tantas nos perguntamos por que seguir por um caminho que não nos leva para a tão sonhada felicidade. E o que é Felicidade? É poder ter realização pessoal, profissional, financeira e equilíbrio em todas elas. 

Para isso eu preciso observar minha conduta. Pensamentos geram sentimentos que geram comportamentos e tudo que eu projetar como algo factível poderá se tornar real se eu colocar minha energia em busca dessa realização. É aí que mora o perigo, pois podemos sair do caminho e nos perder com distrações que vão surgindo no percurso e acabamos realizando algo criado em nossos pensamentos lá atrás. Sim, nós criamos nossa realidade. Nós construímos o cenário que queremos viver. E se você não gosta do cenário atual, saiba que foi você que o criou. A boa notícia é que podemos alterar a rota e mudar absolutamente tudo de lugar. Não é fácil. Mas é possível. A notícia ruim é que às vezes vivemos num cenário aparentemente perfeito mas existe um vazio esquisito porque nos emaranhamos em realizações que criam raízes nos impedindo de seguir adiante. Entendeu? Não? Nem eu. 

Nosso cérebro não separa o real do imaginário, se eu imaginar que posso fazer determinadas coisas ele vai processar a imagem e vai conduzir para que tudo aquilo que foi criado na minha mente anteriormente se realize. Sono perdido, anos perdidos, amores perdidos, por questões que não foram trabalhadas em nossa mente por perdermos o foco em direção ao que realmente nos faz feliz. 

Pergunte-se: Existe algo que você queira realmente mudar em sua vida? Você está plenamente satisfeito com seus resultados? Você acorda pela manhã sentindo vontade de dizer: Yes! Como é bom viver a minha vida? Você vive uma vida de verdade ou faz de conta que é feliz só para fazer bonito para os outros sem levar em consideração o que realmente você quer fazer na vida?

Pense que muito das suas escolhas estão fortemente embasadas nas crenças de outras pessoas que viraram verdades pra você e que não precisa ser assim. Nada precisa ser como é e não precisamos olhar para a vida dos outros para definir nossa vida. Quando estamos ocupados vivendo nossa própria vida deixamos de viver como os outros querem que a gente viva e é aí que a mágica acontece. É libertador. 

Nós podemos muito mais do que imaginamos. Só precisamos praticar o autoconhecimento e deixar o coração ser norteado por coisas que realmente nos fazem vibrar de felicidade. Mas uma felicidade de verdade, não com sorrisos bonitos no porta retrato só para o outro ver. A vida é muito curta pra ser só isso.