quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Vida Perfeita

Projeta o futuro e pensa: Se a minha vida fosse perfeita em cinco anos como seria? Agora pensa como ela se diferencia da vida que você leva hoje. Se você começar hoje a construir a vida desejada em cinco anos determine alguns pontos. Pense na renda familiar ideal, nas condições perfeitas de trabalho, no que seria a vida perfeita em família, na situação financeira perfeita em que você tivesse dinheiro suficiente para aplicar a longo prazo, ter conforto e aproveitar com sua família. Como você desenharia a vida perfeita?

Escreva sobre isso, discuta com a pessoa que divide a vida com você para que os dois tenham uma imagem clara sobre o objetivo futuro. Isso vai desencadear todo tipo de ideia maravilhosa, vai gerar uma espécie de motivação contínua, você vai trabalhar feliz quando souber que está se esforçando para concretizar uma visão de um futuro ideal. É preciso saber teus valores. Aquilo que é realmente importante pra ti e que jamais você abriria mão. É preciso alinhar os teus valores com os valores de quem compartilha a vida ao teu lado.


O Segredo do Sucesso é fazer o que você ama e dedicar-se de coração em ser excelente. Você está fazendo o que ama? A chave para abrir a porta do caminho que te levará para a vida desejada começa por aí. Observe se você não está apenas ganhando a vida e vivendo por viver. Faça o que te faz feliz. Tente mais coisas. Aprenda coisas novas. Persista. Realize muito além do que vem realizando. Você pode muito mais, então porque se contenta com tão pouco?

Não se compare a ninguém. Compare-se com você mesmo e acompanhe a sua evolução. Exclua da sua vida todas as coisas negativas para dar espaço as coisas positivas que te impulsionem a melhores resultados. Mude a percepção das coisas. Não deixe de fazer novas coisas pelos bloqueios do teu cérebro. Lembre-se da frase de Henry Ford: “Se você pensa que pode ou que não pode, de qualquer forma estará certo”.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Liberdade para sonhar

Muitas pessoas são podadas pela vida para realizar o sonho de outras pessoas enquanto vivem por viver. Decidem uma profissão para agradar seus pais, decidem casar para agradar a família, decidem morar numa determinada cidade para agradar um cônjuge. Na medida em que o tempo vai passando seus próprios sonhos vão sendo sufocados pelos sonhos dos outros e a essência vai se perdendo no meio do caminho. Lá pelas tantas não sabemos mais quais eram os nossos projetos de vida, dentro de uma trajetória que responde diretamente ao que nos faz feliz, nos faz vibrar, sentir que a vida está valendo à pena de ser vivida.

Nada precisa ser como é. Nada precisa seguir a cartilha pré-determinada por alguém. Ninguém tem o poder de decidir o caminho de quem quer que seja. Padrões só servem para uniformizar e organizar um ambiente, não servem para uma experiência de vida. Uma existência é algo muito especial para ser moldada dentro de uma caixa onde infelizmente algumas pessoas colocam uma tranca gigante que impede completamente qualquer meio de locomoção. As pessoas se limitam a um sistema, um molde, regras e eu pergunto: Para agradar a quem? A si mesmo ou a outras pessoas?

Crie a sua realidade. Transporte-se para o seu futuro. Construa as etapas que você precisa percorrer para atingir todas as coisas que te fazem genuinamente feliz. Que gosto tem o seu futuro? De que cor ele é? Que sentimento ele te traz? Lembre-se que é você que decide cada passo da tua existência. Quem dá a permissão para que outras pessoas assumam o controle da sua vida é você.

Liberdade para sonhar e coragem para realizar. Esse é o segredo de uma vida recheada de realizações. SUAS e não dos outros.
"Não sou como algumas pessoas que gostam da vida em banho-maria.
Gosto de fogo, pimenta, alho, ervas. Por um triz não sou uma bruxa."
Martha Medeiros

terça-feira, 16 de agosto de 2016

O que você faria se não tivesse medo?

Confesso que algumas coisas são inconfessáveis. Outras nem tanto. Se eu não tivesse medo, ou melhor, pânico de cobra, talvez tirasse aquelas fotos com uma enrolada em meu pescoço. Se eu não tivesse medo de vento, talvez ficasse de boa no meio de uma ventania lendo um livro. Dentro de casa, óbvio. Se eu não tivesse medo acho que colocaria uma mochila nas costas e iria viajar pelo mundo, mas meu maior medo é ficar longe dos meus filhos. Um dia ainda vou fazer Rappel. Mas preciso vencer o medo. 

A vida é repleta de “e se”. Ficamos do lado de cá morrendo de vontade de descobrir como é o lado de lá. “Vaidizê”. O medo nos paralisa. Coragem é agir apesar do medo. É preciso ter coragem para enfrentar a vida e realizar o máximo de coisas possíveis para preencher toda uma existência de momentos especiais. Mas para isso, tem que ter muita autoconfiança e acreditar naquilo que se está fazendo.

Diversas vezes somos impedidos de seguir adiante pela proteção de nossos pais e amigos, que querendo nos proteger acabam nos desanimando quando queremos empreender ou realizar algo mais ousado. O medo deles se transforma no medo nosso e nada é feito.


Morrendo de medo no céu do Rio de Janeiro 
A crença limitante de outras pessoas entram em cena para querer decidir o que é certo dentro de um jogo onde não existe certo ou errado, mas riscos à serem avaliados e testados. Nem sempre dá certo, sabemos disso, mas precisamos tentar para não deixar nossos sonhos apenas engavetados dentro da nossa existência. Se não testarmos, como vamos saber?

Milhares de pessoas descobrem o gosto amargo de um fracasso diversas vezes por dia e nem por isso desistem. Pelo contrário, ficam cada vez mais próximas do sucesso, pois a cada fracasso retiram um aprendizado valioso que não será mais repetido.

De nada adianta deixar seus sonhos num campo de idealização onde não existe concretização. Você terminará seus dias com uma espécie de vazio no meio do peito e a sensação de que a vida não valeu tanto a pena assim. O que você faria se não tivesse medo? Pega essa resposta, vai lá e faz.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Empoderamento

Uma das palavras que mais utilizo em meus processos de coaching, justamente por conseguir enxergar exatamente isso na evolução dos meus coachees.

Uma delas esses dias confessou-me que quando ouviu essa palavra pela primeira vez em nossas sessões, teve vontade de levantar e ir embora por considerar exagero de minha parte, mas com o tempo percebeu que não existia definição melhor para o que aconteceu com ela. 

Empoderar é um verbo que se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outrem. No coaching é muito mais do que isso. É a verdadeira aceitação do quanto você pode assumir a identidade de uma pessoa capaz de explorar ao máximo os seus talentos e características sem dar muita atenção para as questões no qual você não é realmente bom. 

Quando descobrimos nosso perfil comportamental através do autoconhecimento, utilizamos a nosso favor todo o potencial existente em nossas características e passamos a fazer aquilo que realmente somos bons fazendo. Isso gera empoderamento. Percebemos que não precisamos nos entristecer por não conseguir assumir alguns papéis no mundo corporativo que na verdade não condizem com nossas habilidades. Somos iludidos muitas vezes por um título bonito num cargo qualquer, e passamos a perseguir alguns deles sem saber se seremos felizes de fato desempenhando tal papel. Além disso, muitas vezes ficamos paralisados por medo da crítica dos outros e isso retira toda a nossa força em direção a resultados. 

Assuma a sua verdadeira personalidade, mostrando ao mundo quem você realmente é. Quando assumimos o que somos, trabalhamos para ser cada vez melhores, entregando para as pessoas excelentes resultados. 

Autoconhecimento gera empoderamento. E é você que decide se está disposto a descobrir o seu poder.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Para cada escolha, uma renúncia

Infelizmente não podemos ter tudo que queremos. Para escolher algum caminho, precisamos abrir mão de outro e quando tomamos decisões baseadas em nossos valores conduzimos as respostas com mais facilidade e possibilidade de acertos.

Existem cinco valores que significam muito para cada ser humano. Muito acima da linha da média de acordo com cada percepção. Assim, podemos afirmar que os valores humanos vão muito além de simples valores morais constituindo um conjunto de regras estabelecidas para uma convivência saudável dentro de uma sociedade, mas um elemento que norteia comportamentos e afeta diretamente a vida das pessoas. Quando ferimos algum de nossos valores, porque cedemos por algum motivo qualquer numa determinada situação, a ferida fica lá, instalada bem no meio do peito marcada como ferro em brasa.

É difícil abdicar de algumas coisas que parecem extremamente atraentes num primeiro momento, mas que significam apenas momentos. Quando resistimos e enfrentamos os desvios que a vida apresenta para que o caminho seja desconstruído, precisamos nos perguntar para onde estamos indo e aonde queremos chegar de modo que essas respostas estejam alinhadas aos nossos valores.

Se eu tenho a família como um valor importante para mim, devo desviar de todas as coisas que coloquem em risco meu convívio familiar. Se para mim integridade é algo fundamental, não posso ir contra ao que considero atitudes de uma pessoa íntegra. Se a minha individualidade é indispensável, preciso me fazer respeitar e utilizar meu tempo da maneira que achar melhor sem precisar agradar os outros antes de agradar a mim mesma. Se prezo pelo aprendizado contínuo, não posso deixar de buscar conhecimento e alimentar meu cérebro com informações novas a cada dia. Se manter a saúde em dia é importante para mim, não posso simplesmente ignorar que preciso fazer exercícios físicos regularmente e manter uma alimentação saudável. Enfim…. São nossos valores que determinam nossos resultados. Quando sabemos quais são eles e o quanto respeitá-los nos conduz pelo caminho de melhores resultados, pensamos nos cinco principais deles em todos os momentos de decisão e aí conseguimos fazer a escolha certa.

Se cada escolha é uma renúncia, substituir ilusões efêmeras por resultados duradouros, mesmo sem prazer imediato, faz com que possamos olhar para trás livre de remorsos e orgulhosos de nossos feitos. Só assim para dizer que a vida realmente valeu à pena. Quando não deixamos rastros de arrependimento no caminho. Como dizia Pablo Neruda: "Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências”. 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

O poder escondido em sua própria história

Vivemos num mundo onde o tempo atropela questões que passam despercebidas por nós. Vivemos num círculo de regras impostas por pessoas que um belo dia determinaram o que seria o certo e o errado dentro de uma sociedade machista baseada por “n” fatores na história da humanidade. Mas a roda girou, o tempo passou e nada mais é como antes. Porque então algumas coisas seguem firmes como crenças limitantes que nos impedem de avançar em direção ao que nos faz feliz?

Muitas de nossas crenças são verdades de nossos antepassados que acreditavam em outras verdades sem o menor cabimento de seus antepassados. Lá pelas tantas nos perguntamos por que seguir por um caminho que não nos leva para a tão sonhada felicidade. E o que é Felicidade? É poder ter realização pessoal, profissional, financeira e equilíbrio em todas elas. 

Para isso eu preciso observar minha conduta. Pensamentos geram sentimentos que geram comportamentos e tudo que eu projetar como algo factível poderá se tornar real se eu colocar minha energia em busca dessa realização. É aí que mora o perigo, pois podemos sair do caminho e nos perder com distrações que vão surgindo no percurso e acabamos realizando algo criado em nossos pensamentos lá atrás. Sim, nós criamos nossa realidade. Nós construímos o cenário que queremos viver. E se você não gosta do cenário atual, saiba que foi você que o criou. A boa notícia é que podemos alterar a rota e mudar absolutamente tudo de lugar. Não é fácil. Mas é possível. A notícia ruim é que às vezes vivemos num cenário aparentemente perfeito mas existe um vazio esquisito porque nos emaranhamos em realizações que criam raízes nos impedindo de seguir adiante. Entendeu? Não? Nem eu. 

Nosso cérebro não separa o real do imaginário, se eu imaginar que posso fazer determinadas coisas ele vai processar a imagem e vai conduzir para que tudo aquilo que foi criado na minha mente anteriormente se realize. Sono perdido, anos perdidos, amores perdidos, por questões que não foram trabalhadas em nossa mente por perdermos o foco em direção ao que realmente nos faz feliz. 

Pergunte-se: Existe algo que você queira realmente mudar em sua vida? Você está plenamente satisfeito com seus resultados? Você acorda pela manhã sentindo vontade de dizer: Yes! Como é bom viver a minha vida? Você vive uma vida de verdade ou faz de conta que é feliz só para fazer bonito para os outros sem levar em consideração o que realmente você quer fazer na vida?

Pense que muito das suas escolhas estão fortemente embasadas nas crenças de outras pessoas que viraram verdades pra você e que não precisa ser assim. Nada precisa ser como é e não precisamos olhar para a vida dos outros para definir nossa vida. Quando estamos ocupados vivendo nossa própria vida deixamos de viver como os outros querem que a gente viva e é aí que a mágica acontece. É libertador. 

Nós podemos muito mais do que imaginamos. Só precisamos praticar o autoconhecimento e deixar o coração ser norteado por coisas que realmente nos fazem vibrar de felicidade. Mas uma felicidade de verdade, não com sorrisos bonitos no porta retrato só para o outro ver. A vida é muito curta pra ser só isso. 

sábado, 18 de junho de 2016

Estado de Flow :)

A vida é feita de momentos felizes, tristes e neutros. O dia tem 24 horas e podemos tentar medir, de 0 a 100, o tempo que nos permitimos ficar em cada um desses estágios durante o dia.

Nos momentos felizes, haverá picos de felicidade extrema onde corpo e mente fluem em perfeita harmonia. É um estado de excelência caracterizado por um alto índice de motivação, concentração, energia e desempenho, por isso também chamado de experiência máxima ou experiência ótima. Esse ápice chamamos de estado de flow, muitas vezes lembrado como os momentos mais felizes da vida da pessoa, os momentos onde ela se sentiu no seu melhor.

É importante identificar quais foram os momentos mais felizes da sua vida para diagnosticar o que realmente te faz feliz e proporcionar que eles aconteçam a todo o momento. Geralmente a pessoa entra no estado de fluxo (flow) quando está fazendo aquilo que mais gosta. 

Quando você faz aquilo que gosta, você tem mais motivação, se concentra com mais facilidade e fica tão profundamente envolvido e absorvido na atividade que nem percebe o tempo passar. Naquele momento, você não pensa em mais nada, não pensa nos problemas que ocorreram antes, nem no que terá de fazer depois, fica inteiramente focado no presente – no aqui e agora.

Na correria do dia-a-dia as preocupações tomam conta do nosso cotidiano gerando conflito entre razão e emoção que consomem muita energia gerando desgaste e stress emocional. No estado de flow não há conflito entre pensamentos, sentimentos e ações. Como já disse corpo e mente fluem em perfeita harmonia.

Pense sobre isso. Cultive o que você tem de melhor. Resgate os aspectos positivos da vida. Faça a sua existência valer à pena com alegria, otimismo, amor, resiliência, esperança e gratidão e obtenha mais flow em sua vida.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

#Chateado

Muitas amizades são interrompidas por erros de interpretação. As pessoas são diferentes, cada uma com sua linha de raciocínio e sua maneira de perceber as coisas. O que chamamos de mindset. Ninguém percebe o mundo de maneira igual. Tudo passa pelos filtros da nossa mente que foram alimentados durante toda a nossa existência por crenças limitantes de várias pessoas que passaram pela nossa vida. E assim construímos nossos valores e consequentemente obtemos nossos resultados que podem ser bons ou ruins.

Eu não estou dentro do cérebro de outras pessoas em tempo integral e, portanto eu não faço ideia do que provocou determinada atitude de sua parte em algum momento de sua vida. O que eu tenho de modo concreto são as minhas percepções e as minhas verdades, os meus motivos para ter feito todas as coisas que fiz na vida, afinal consigo passar cem por cento do tempo comigo mesma. Logo, eu me entendo perfeitamente e sei muito bem justificar minhas falhas. Mas e as falhas dos outros? Como percebo isso?

Se eu não sei os reais motivos de qualquer outra pessoa para qualquer atitude que tenham tomado e percebo o mundo de maneira totalmente diferente, consequentemente não entenderei muitos comportamentos e por diversas vezes poderei me decepcionar com alguém gerando sentimentos ruins como injustiça e raiva. Entendeu? Não? Nem eu.  Vou tentar explicar de outra forma. Eu posso me ofender com algo que alguém fez, onde para a pessoa nenhuma ofensa ocorreu e para mim ela cometeu algo imperdoável, porque percebemos o mundo de forma diferente. E nesse processo todo dependendo da minha personalidade serei uma daquelas pessoas eternamente chateada com tudo que me acontece na vida sem entender o motivo pelo qual as pessoas são como são. É isso.

Para mim que não fiz nada por mal e agi dentro de uma linha de raciocínio x, está tudo bem, para outra pessoa pode ser que tenha feito de caso pensado algo para irritá-la profundamente. Daí entra o que chamamos de princípio 90-10. 90% é a percepção que temos sobre as coisas que nos acontecem e 10% é o que realmente acontece. Se você não encanar com determinada chateação ela vai desaparecer, mas se resolver encucar com isso vai acabar colocando uma energia desnecessária em algo que nem tinha tanta importância assim.  Tudo vai depender da maneira como você encara as questões do cotidiano. 

Entenda que as pessoas são diferentes, tente não ferir ninguém apenas agindo com os outros da mesma forma que gostaria que agissem com você e desencane completamente se algo não tão sério te decepcionou. Neutralize a situação colocando numa lixeira imaginária que se dissolve com o tempo. Afaste-se de quem te faz mal. Utilize sua energia no que vai trazer resultados positivos para sua vida para não perder tempo com quem não vale à pena. A vida fica bem mais leve quando aceitamos pontos de vista diferentes dos nossos e respeitamos o espaço de cada um. De preferência sem fazer drama por isso. 

domingo, 29 de maio de 2016

Lugar de mulher é onde ela quiser

Minha filha estava assistindo um desenho animado do Tom e Jerry onde o Tom se apaixona perdidamente por uma gatinha “metida a besta” que exige muitos presentes em troca da sua atenção. O Tom oferece um anel de brilhantes, se endivida até a alma comprando um carro para dar de presente para a amada e mesmo assim não foi suficiente, ela queria mais e mais.  Até que ele acabou na sarjeta sem nenhum dinheiro e sem seu grande amor. A gatinha, cheia de presentes caros, saiu passeando bem bela em busca de outro otário que pudesse bancar seus luxos. Muito provavelmente sem nenhuma crise de consciência por isso, pois cresceu acreditando que a vida é assim, mulher espera ser conquistada e sustentada por um marido ao invés de desenvolver-se, buscar crescer com suas próprias pernas e sustentar-se sozinha e aí sim, lá pelas tantas conhecer um grande amor.

Fiquei pensando na construção das crenças dos meninos e meninas que assistem desenhos com esse tipo de mensagem e no poder que isso exerce na mente das crianças. Elas crescerão entendendo que homem deve se arrebentar para contentar uma mulher com bens materiais para conquistá-la e mesmo assim sem garantias de sucesso e mulher não deverá fazer muito esforço, apenas aguardar que o melhor candidato apareça.

Não lembro de ver desenhos que mostram uma mulher executiva conquistando um homem com um buquê de flores, por exemplo. Seria lindo de ver.  A imagem que nos passam desde a infância é de uma mulher dondoca totalmente dependente do homem financeiramente e esperando presentes caros para ser feliz. Então a menina cresce e não encontra o príncipe encantado que disseram que viria num lindo cavalo branco e a faria feliz para sempre e acaba não aceitando menos que isso no subconsciente. Vive eternamente frustrada com seu marido “fora dos padrões” que mal consegue sustentar a família.

Será que não está na hora de alterar a mensagem que queremos transmitir para nossas crianças? De que homens e mulheres encontram-se no mesmo patamar intelectual e com a mesma capacidade de construir uma história de sucesso na vida, podendo inclusive construir essa história juntos, sem precisar que um tenha que fazer mais esforço que o outro para que os dois possam ser felizes?

Será que não está na hora de pessoas pensarem no quanto crenças limitantes de uma criação altamente machista é capaz de impedir muitas mulheres de terem sucesso profissional? Será que essas mulheres não seriam plenas e realizadas sabendo que são seres independentes, fortes, capazes de conquistar grandes feitos e ter o gostinho de ser protagonista da própria história sem ficar à sombra de ninguém? Saber que são únicas e especiais com plenas condições de fazer a diferença na vida de muitas pessoas?  Sim, é possível. Tudo é possível de ser feito. Mas é preciso acreditar nisso. E se você passou uma vida inteira acreditando que não é possível, essa será a sua verdade, mas lembre-se que apenas na sua cabeça. 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Vítimas do Mundo

Me impressiona a quantidade de pessoas que deixam de tomar atitudes positivas capazes de gerar bons resultados em suas vidas para se fecharem numa redoma de negatividade e inércia. Pessoas que preferem culpar os outros pelo seu fracasso. Pessoas que terceirizam responsabilidades em tempo integral e passam uma existência inteira trocando personagens que são sempre os culpados por tudo que lhes acontece formando um enorme quebra-cabeça de insucessos e mágoas. 

Ao longo da vida vão construindo uma teia de indignação, revolta, raiva, ódio, inveja, sem perceber que estão sozinhos presos a ela. Não fazem questão alguma de saber o significado da palavra networking, pois não conseguem firmar amizade com ninguém. Tudo que começam interrompem por não saberem se colocar no lugar do outro e por isso se chateiam por pouca coisa interferindo diretamente no que seria uma rede de relacionamentos duradouros. Aliás, perdem grandes oportunidades por isso.

A vítima do Mundo precisa mostrar que é vítima. Precisa ofender, se fazer de coitada, fazer questão que todos sintam pena da sua infelicidade. Derramam energia ruim por cima de quem estiver por perto e reclamam quando são incompreendidas. Vitimização rima com solidão, pois ninguém aguenta ficar perto por muito tempo.

Tem pessoas que sofrem o dobro, tem problemas muito mais sérios e ninguém fica sabendo. Elas caem, levantam, sacodem a poeira e dão a volta por cima, enquanto outras mergulham num mar de lama e ficam eternamente presas num espaço de lamentações e retrocesso. A vida não anda. Não progride. Passa ano e entra ano e tudo segue igual. Ela não aprende com os erros, apenas os repete. Justamente por nunca conseguir assumir a culpa pelos próprios resultados. E não somos quem achamos que somos, nós somos os nossos resultados. Se você não gosta do que recebe, observe o que emite. 

Algumas pessoas sentem pena e caem no jogo entediante de uma vítima do mundo até chegar num estágio em que não aguentam mais e acabam se afastando para manter a sanidade mental. E então, terminam entrando para a caixinha do quebra-cabeça sendo mais uma “pecinha culpada” que contribuiu para a infelicidade da vítima em questão. 

É extremamente cansativo conviver com vítimas do mundo. É preciso manter certo distanciamento e não se envolver nos problemas que serão rotineiros e acabarão influenciando de alguma forma a nossa vida. Preste atenção nas vítimas ao seu redor e mantenha distância para não correr o risco de ser contaminado por elas.  

segunda-feira, 23 de maio de 2016

A gente aprende a fazer fazendo

Meu filho esses dias me perguntou se eu “ainda” era coach do mesmo assunto porque ele já não sabia mais. Dei risada e respondi que na vida a gente aprende a fazer as coisas fazendo e só assim poderemos descobrir se aquilo é interessante de ser feito. Foi assim quando ele experimentou o violão, o taekwondo e o caratê e acabou gostando de futebol. Eu deveria forçá-lo numa modalidade? Não, pois sabia que ele estava se descobrindo experimentando o que mais lhe dava prazer. Testando suas aptidões. Revelando seus  talentos.

É muito lindo colocar um planejamento estratégico no papel onde se define detalhes de uma carreira brilhante, mas tudo isso será em vão se nada for colocado em prática. Precisamos nos testar para saber se a prática condiz com a idealização.

Quando comecei com o coaching estava encantada com o que ele fez por mim resolvendo fantasmas que me atormentavam devido ao meu divórcio em 2010. Escrevi um livro sobre isso para ajudar outras pessoas que enfrentam o processo de divórcio. Criei workshop para trabalhar o assunto e descobri que grande parte do meu público eram mulheres. Com isso, especifiquei meu nicho como coach para mulheres e criei produtos voltados ao público feminino.

Durante meu processo de construção como coach, me tornei sócia de uma empresa que trabalha coaching e consultoria empresarial e paralelamente atendia clientes que estavam buscando respostas para ter um sentido na vida ou querendo saber qual a melhor profissão escolher. Na época, eu estava focada em finanças, pois dentro dos produtos que oferecia para mulheres estava Gestão de Finanças Pessoais já que eu havia acabado de me especializar em Coaching  Financeiro.

No momento em que comecei a aplicar o coaching em mim mesma e fazer uma profunda análise do que realmente me dava prazer em trabalhar, percebi que não era nada do que estava fazendo.  Estava tudo confuso e sem direcionamento dentro do meu planejamento. Utilizei uma ferramenta de coaching que aborda anotações por uma semana de tudo que eu adorei e detestei fazer no dia e ali percebi que adoro identificar perfis para cada cargo, algo que percebo ser muito necessário dentro da universidade em que trabalho.

Pessoas passam grande parte de suas vidas muitas vezes fazendo o que não gostam porque as oportunidades que surgem não proporcionam que façam exatamente aquilo que gostam. Então surge a infelicidade no trabalho, a falta de estímulo, de querer fazer aquele algo a mais, de sentir prazer em acordar numa segunda-feira de manhã sem dar graças a Deus pelos Feriados e finais de semana.

Com isso, mudei de novo. Defini meu nicho e senti no meio do peito a certeza de ter feito a escolha certa. Algo que até então não havia sentido.  Sou coach de carreira.  Ajudo pessoas a ter prazer pleno na profissão de modo que se sintam felizes sem perceber o tempo passar. Quando fazemos o que amamos, fazemos com prazer e tão bem feito que o retorno financeiro é consequência.

Descobrir onde se quer focar toda a energia para fazer o que se gosta é algo libertador. Não importa se você trilhou um caminho e lá pelas tantas percebeu que não era bem nele que gostaria de estar. O que você fez na vida te mostrou experiências que são muito válidas para saber o que gosta e o que não gosta de fazer.

Permita-se descobrir novos caminhos utilizando seus talentos e características e não se desvie do que é realmente importante para você. Faça a sua existência ter sentido.  A vida é muito curta pra ser pequena. Você pode muito mais se estiver fazendo o que te faz feliz. 

sexta-feira, 13 de maio de 2016

A brevidade da vida

Acabo de perder um tio muito querido pra mim. Partiu com apenas cinquenta e sete anos. A meu ver com muita vida pela frente. O que me fez lembrar do meu sobrinho Marquinhos que aos vinte e quatro anos perdeu a vida num acidente em 2014. Mais uma vez a morte me provando a brevidade da vida e o quanto perdemos tempo com coisas pequenas que não deveriam estar presentes em nossa existência.  
 
Nosso dia tem vinte e quatro horas onde mal damos conta de atender aquilo que realmente nos importa como família, filhos, trabalho, saúde, espiritualidade etc. Muitas vezes abdicamos de momentos de lazer para dar espaço ao excesso de trabalho num ritmo apressado cujo dia parece pedir o dobro do tempo para fazer todas as coisas que precisam ser feitas. Sabemos que cada escolha é uma renúncia e quando optamos por nosso trabalho deixamos de lado momentos em família e se não soubermos dosar com cuidado tudo isso, nossos filhos crescerão sem que tenhamos construído memórias de aconchego e momentos de ócio e lazer em família. Aquele momento em que não se faz nada além de jogar um jogo de tabuleiro para dar umas risadas enquanto enchemos a cara de pipoca.

Em meio a tudo isso acontece de nos depararmos com obstáculos, com pessoas infelizes que sempre criam problemas a sua volta e acabam nos envolvendo numa teia de negatividade onde não conseguimos sair. Então buscamos a reclusão para de certa forma nos isolarmos de tudo isso e focar no que nos faz bem, no que nos faz feliz. Lá pelas tantas alguém adoece, é preciso parar tudo para dar atenção. A vida desacelera para que possamos voltar nossos olhos para quem precisa. Pode ser que a gente mesmo adoeça e daí a máquina para de vez, nos mostrando que de nada adianta focar em excessos, pois em algum momento o que tiver demais, vai transbordar te mostrando o momento de parar.É preciso equilíbrio. Desacelerar. Olhar para a vida com olhos de quem sabe separar em fatias cada momento de dedicação. Não é muito fácil. Mas é preciso. E quando a morte bate a nossa porta, conseguimos perceber o quanto a vida é curta e deve ser aproveitada com alegrias e realizações.

Se você morresse hoje, que legado deixaria? Você estaria satisfeito com seus feitos? Como as pessoas vão lembrar de você? Quando você olha para trás consegue dizer que sua vida valeu à pena? Pense nisso e aproveite para corrigir o tempo que te resta. Só não esqueça que esse tempo pode ser bem curtinho. É preciso urgência para ser feliz.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Não deixe que seus medos tomem o lugar dos seus sonhos


O título faz referência a famosa frase do Walt Disney que foi um dos maiores exemplos de persistência e coragem que alguém pode ter. Muitas de nossas crenças nos impedem de avançar por conta do medo e atitudes sabotadoras. Se acreditarmos que podemos, vamos agir em direção a nossas metas mesmo diante de incertezas e contratempos que certamente ocorrerão.

Todo erro gera aprendizado e provoca melhorias. Todo o sofrimento que o erro é capaz de causar é crucial para o alcance do sucesso, pois carrega consigo uma força de superação e autoconhecimento. Como dizia Cecília Meireles: “Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas...” Sempre acabamos superando as dificuldades e eliminando os sabotadores.

Só que a falta de crescimento significa algo muito pior que estagnação, significa ficar pra trás. Não existe estagnação na vida. Ou você cresce ou encolhe. Como uma planta em desenvolvimento. O conhecimento, quando colocado em prática através de desafios, gera transformação. E essa transformação vai fazer com que você tenha resultados extraordinários.

Mude a sua forma de pensar. Descubra o que te sabota e liberte-se dessa escravidão. Faça uma autoavaliação: O que falta para você atingir suas metas? Disciplina, força de vontade, paz de espírito, coragem? E o que te atrapalha? Medo, insegurança, pensamentos negativos, dúvidas, preguiça.

Quando não queremos fazer algo, especialmente quando aquilo vai nos tirar da nossa zona de conforto, a resposta para as questões que surgem é que não vai dar certo e é melhor nem tentar.
Acredite! Você pode muito mais. Basta descobrir para onde você quer ir e colocar toda a sua energia nisso, aprendendo com os erros do percurso e atingindo grandes objetivos.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Vamos falar de finanças pessoais?

O universo feminino é cercado por armadilhas encantadoras e quase irresistíveis que facilitam e muito o acesso ao consumismo desenfreado. Mas você já parou para pensar no quanto gastar dinheiro está ligado ao desequilíbrio emocional?

 Quando estamos muito felizes gastamos para comemorar. Quando estamos muito tristes gastamos para superar. Porém, quando estamos com a mente ocupada realizando algo que demanda tempo, não lembramos de fazer nem mesmo as compras que deveríamos. O que comprova que podemos controlar nossos gastos controlando nosso comportamento. 

Espere alguns dias antes de realizar uma compra. Não compre por impulso. Toda vez que você olhar algo vai querer adquirir de imediato. Então, resista. Aguarde alguns dias. Na maioria esmagadora das vezes você acaba desistindo porque percebeu que aquilo nem era tão importante assim.

Separe seu dinheiro em envelopes, definindo um envelope com 50% de suas receitas para pagar contas obrigatórias, como aluguel, gasolina, luz, supermercado, escola dos filhos etc. 10% para investimento a longo prazo que irá te ajudar a construir sua liberdade financeira, ou seja, aquele momento que você poderá ter um rendimento mensal que te proporcione não trabalhar se quiser. 10% para investimentos de curto prazo para adquirir as coisas que você deseja comprar e daí se você tiver um perfil mais conservador poderá escolher as linhas de CDB ou CDI para isso. A propósito, "desbancarize" seus investimentos para aplicar junto à plataformas que te auxiliem a fazer seu dinheiro render com muito mais eficácia.São mais de quinhentas opções de rendimento. E você pode junto ao seu corretor escolher a que melhor se adapta ao seu perfil. Geralmente o banco escolhe o que é melhor para a instituição, não para você. 

Se mesmo assim você preferir colocar seu dinheiro no banco, não utilize a poupança, pois ela é boa somente para o banco que está trabalhando com seu dinheiro. Utilize seus ganhos de maneira inteligente, e faça com que o banco pague juros para você e não o contrário. Isso significa esperar para adquirir aquilo que se quer numa aplicação mais rentável e não tirar dinheiro a juros para atender o imediatismo. Quando fazemos isso, comprometemos boa parte de nossa receita pagando parcelas com juros elevadíssimos que posteriormente irão matar compras futuras. Com organização e paciência é possível ter muito mais com muito menos dinheiro.

Em outro envelope separe 10% para torrar com diversão em família. Mas é para torrar mesmo. Isso te dá a sensação de que está aproveitando a vida e que trabalha sabendo viver. Te ajuda a equilibrar a roda da vida. Precisamos muito viajar, ter momentos de lazer e diversão e muitas vezes isso inclui gastar boa parte do seu dinheiro. Separando a fatia para isso, você gastará sem culpas e sem comprometer o seu orçamento. 

Não esqueça de separar 10% para investir em conhecimento. Cursos, livros, capacitação. Quando você investe no seu intelecto acaba gerando muito mais dinheiro com resultados. O aprendizado deve ser contínuo e quanto mais você se capacita, mais valioso fica para o mercado. 

Para eliminar dívidas, separe um valor mensal cujo objetivo é quitar tudo que ficou para trás e faça um planejamento de atacar primeiro o que gerar mais juros. Você pode escolher se vai tirar esse valor da fatia dos investimentos de curto prazo para adquirir as coisas que você quer ou se vai retirar da fatia da diversão, mas não pode utilizar a fatia inteira porque senão você acaba se desanimando com o processo de só trabalhar para pagar dívidas. Lembre-se que quanto mais eficaz você for em eliminar sua dívidas, melhor será para fazer seu dinheiro render quando administrar seu dinheiro à vista.

Tente começar com um pouquinho até chegar em 10% para doações. Você escolhe para quem vai doar. Quanto mais dinheiro você ganhar, mais pessoas poderá ajudar e cada vez que fizer isso seu cérebro irá disparar gatilhos mentais de prosperidade que contribuirão muito para a sua ascensão. Parece louco isso, mas quando você começa a aplicar percebe que quanto mais dinheiro doa, mais dinheiro ganha. Sua roda da abundância vai girar com maior velocidade e cada vez mais próspero você será. Enquanto não tiver dinheiro disponível para isso, aproveite para doar seu tempo auxiliando em projetos comunitários e contribuindo socialmente com o seu trabalho. 

Lembre-se que o esforço não é só para fazer o dinheiro sobrar, mas pensar numa renda extra para fazer o dinheiro render, se multiplicar. Pense em algo que você ame fazer nas horas vagas e ache uma maneira de ganhar dinheiro com isso. Pergunte-se que problema você pode ajudar a resolver com um talento que você tem? Tudo aquilo que se faz com prazer, se faz bem feito e isso faz toda a diferença na hora de obter excelentes resultados. 

Anote todos os seus gastos. Desde uma simples bala até a mensalidade da escola do seu filho. Ali você terá total controle de onde está sua válvula de escape que te impede de conseguir poupar. Com isso, eu tenho certeza que você conseguirá quitar todas as dívidas e perceberá que paz de espírito com uma evolução financeira que te proporcione cada vez mais prosperidade é muito mais importante que suprir pequenas vontades de um consumismo imediato. Falo por experiência própria, pois minha vida mudou muito depois que passei a aplicar esses conhecimentos. Foque naquilo que é realmente importante para você e que auxilie a atingir seus objetivos e não perca tempo e dinheiro no que não está alinhado a isso. Essa é a chave para períodos de muita fartura e prosperidade. Boa sorte!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Ressignificando nossas dores


Ressignificar é atribuir um novo significado a acontecimentos através da mudança de sua visão sobre as coisas. Perceber o mundo de uma maneira mais agradável, proveitosa e eficiente.

“O significado de todo acontecimento depende do filtro pelo qual o vemos. Quando mudamos o filtro, mudamos o significado do acontecimento, e a isso se chama ressignificar, ou seja, modificar o filtro pelo qual uma pessoa percebe os acontecimentos a fim de alterar o significado desse acontecimento. Quando o significado se modifica, as respostas e comportamentos da pessoa também se modificam.” Retirei essa parte da internet para que você possa entender melhor o que estou dizendo. 

Através da ressignificação, podemos aprender a pensar de outro modo sobre algo de ruim que nos marcou em algum momento e que de certa forma prejudica o atingimento de futuros resultados positivos em nossa vida. É o mesmo que pegar a dor e retirar a essência do que isso pode te trazer de bom, extrair aprendizado do sofrimento e seguir a vida de maneira leve focando no quanto determinadas dificuldades podem nos fortalecer. 

Muitas vezes damos uma importância exagerada para algo que nos gerou um sentimento ruim de injustiça, dor ou mágoa no coração. Quando tentamos pensar no quanto aquilo contribuiu para o nosso crescimento e buscamos enxergar por um outro ângulo, o acontecido recebe outro grau de importância. Algo que alimenta nossa evolução como ser humano gerando uma força motriz que nos impulsiona em busca da superação. 

Por exemplo, uma doença que por um lado te impede de realizar muitas coisas, por outro te deixa com mais vontade de viver e realizar tudo aquilo que é possível de ser feito apesar das limitações. Te faz grato por todos os dias com saúde. Uma separação conjugal te torna melhor para lidar com outros relacionamentos. Em vez de ficar com essa mágoa no coração, tente ressignificar esse sentimento e leve consigo o melhor do ensinamento que ficou. 

Não utilize sofrimentos do passado como muleta para justificar tua falta de atitude para melhorar teus resultados. Como você pode ressignificar uma determinada história na sua vida? Seja o que for, deve te impulsionar para frente e não te puxar para trás.

Seja apaixonado pela vida. Elimine as mágoas e aproveite para crescer, seguir em frente. Você escolhe se vai ficar contando eternamente suas histórias ruins na posição de vítima do mundo ou ressignificar extraindo o ensinamento que a experiência lhe proporcionou e recriando uma nova história cheia de sentimentos bons e grandes resultados. 

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Infelicidade é acumular desperdícios

Se faço o que gosto e estou feliz, as manhãs de segunda-feira são desagradáveis? Com muita frequência vemos pessoas extremamente desanimadas com o que fazem, celebrando a sexta-feira como uma tábua de salvação para não enlouquecer.

No mínimo oito horas diárias, mais o deslocamento até em casa e mais o período que gasta reclamando dessas condições. Quanto isso representa em uma semana? Agora faça as contas do tempo gasto em um mês vivendo uma vida sem ânimo que não direciona a lugar nenhum, pois quando não se sabe para onde vai, qualquer caminho serve.

A falta de propósito na vida é o grande mal das pessoas. Elas não percebem o tempo perdido, pois não possuem objetivo definido para saber o que buscar. Além disso, não procuram agregar prazer à atividade profissional e atribuem a ela tudo que nos impede de atingir a real felicidade. A vida vira um martírio. Na cabeça de alguns apenas oito horas por dia. Na minha cabeça muitos anos de vida.

Toda mudança envolve um processo de tomar consciência da necessidade de mudar, objetivando uma perspectiva de uma situação melhor no futuro. Para isso é preciso disciplina e paciência, pois nada acontece da noite para o dia. Tudo que você fizer hoje exigirá um esforço para investir e plantar, mas o que você vai obter virá depois. O problema é que as pessoas não querem esperar e preferem manter-se na linha da inércia cultuando a infelicidade.

Não desperdice o seu tempo de vida com infelicidade. O despertar para uma mudança de atitude e consequente resultado depende exclusivamente de você.  


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Onde está o seu foco?

Uma pessoa depressiva foca no problema, nas dificuldades, amplia pequenas tristezas e ignora grandes alegrias. É preciso tirar o foco do problema e trazer para a solução. Automaticamente as dificuldades diminuirão.

Gente frustrada e fracassada foca na negatividade. E aonde foca expande. Felicidade se conquista de segunda a sexta. Tem ciclos de 7 dias para ser realizado. Use seus 7 dias. As pessoas que realizam tem foco em todas as áreas da vida. É preciso verificar o nível de atenção que você dá para cada fatia do círculo que forma a sua existência. Que círculo é esse? Seus cuidados com a saúde, seu equilíbrio emocional, como você trata seu dinheiro, sua família, seu cônjuge e você próprio. Sua espiritualidade, o quanto você contribui com a comunidade em que vive, o quanto você se permite praticar aquilo que te dá prazer de viver, que te diverte. O equilíbrio de todas essas fatias vai determinar a sua sensação de paz, plenitude e felicidade.

Busque conhecimento. Sempre, todos os dias. O que eu não tenho é pelo que eu não sei, porque se eu soubesse eu já teria. Dê foco para seus talentos, aquilo que você faz bem. Faça aquilo que você ama fazer. Canalize sua atenção em uma só direção, produzindo energia, fogo, resultados. Elimine tudo que desvia sua atenção. Identifique como você distribui seu tempo e otimize cada minuto a seu favor. Separe o urgente do que é importante. Verifique o que é delegável. Faça tudo aquilo que for necessário sem procrastinar. Escreva numa lista dez ações que deverão ser feitas para que você tenha foco numa determinada meta.

Seja ousado, se desafie. Não se contente com mesmice e vidinha mais ou menos. Você merece mais, bem mais. A vitimização produz autossabotagem. Não seja vítima da vida. Reaja. Se você não fizer por você ninguém mais fará. As pessoas estão ocupadas vivendo suas próprias vidas. Acorde!

O importante não é o que acontece de ruim em nossas vidas, mas o que nós fazemos com o que acontece de ruim. Lembre-se: 10% é o que acontece e 90% é o que você faz em relação ao que te acontece. Gerencie suas frustrações. O erro é uma etapa fundamental do processo de aprendizagem. Quem não falha, não cresce.

Caminhe pelo caminho dos vitoriosos. Faça o bem. Faça as escolhas certas e não justifique suas escolhas ruins. Faça parte da comunidade das pessoas que realizam, aquelas que fazem do mundo um lugar melhor para si e para os outros e seja sempre feliz.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Imprevistos



Quantas vezes você fez planos e as coisas não saíram como esperava? Então o desânimo entra em cena e acaba fazendo com que seu foco mude para outra direção e aquilo que você estava entusiasmado para fazer acaba sendo guardado em um arquivo de sonhos que talvez você não volte a mexer tão cedo.

Eu por exemplo, adoraria estar num escritório silencioso escrevendo concentrada nesse momento de inspiração. Mas o meu escritório virou o quarto da minha filha e pra completar ela adora assistir Xuxa no meu quarto que hoje é meu recanto para escrever. Não pense vocês que eu acho isso péssimo, quando olho para aquela carinha linda vidrada na TV e querendo ao mesmo tempo ficar pertinho de mim, sinto uma enorme gratidão por estar ao lado da minha guriazinha que tanto sonhei e busquei de todas as formas para que um dia se tornasse realidade, pois foi muito difícil engravidar. Porém, diante das circunstâncias tenho que me adaptar e desenvolver uma habilidade de concentração muito maior para continuar escrevendo mesmo que a Xuxa não pare de cantar nos meus ouvidos. Numa tentativa de ver o lado bom das coisas, encaro a Rainha dos Baixinhos como uma aliada que distrai minha filha enquanto escrevo e já estou pensando numa forma dela parar quieta com fones de ouvido, daí sim tudo estará resolvido.

Li por aí uma mensagem que diz: “Desistir de um sonho por causa de um imprevisto é a mesma coisa que rasgar os outros três pneus do carro por causa de um pneu furado. Deu errado? Conserte o erro e continue, você vai chegar”. Não sei de quem é a autoria, mas definiu com perfeição o que eu penso sobre os meus erros. Quando algo dá errado pra mim me imagino como um GPS no momento em que avisa: Recalculando Trajeto. Sim, imagino isso direto e refaço o meu trajeto de uma maneira mais inteligente eliminando o que não deu certo e adotando uma nova postura para tentar novos resultados. Sempre funciona.

O segredo é não perder tempo resmungando sobre algo que deu errado e sim utilizar o ensinamento que ficou do erro para gerar acertos. Bem simples não? Mude a maneira como você vê seus problemas e transforme todos eles em grandes soluções. Tenho a mais absoluta certeza de que você vai sair muito mais fortalecido das dificuldades e conseguirá resultados bem melhores. Lembre-se sempre da famosa frase de Lao Tsé: "O rio atinge seus objetivos porque aprendeu a contornar obstáculos".  ;)

E agora com licença que vou sair correndo daqui para levar minha filha para brincar numa pracinha porque essa Xuxa nos meus ouvidos já deu o que tinha que dar.  Pelamor! :D 

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Suas atitudes determinam seus resultados

Dez por cento da vida é o que realmente acontece e noventa por cento é como você reage aos acontecimentos. Sabia disso? Você pode ter um grande problema ou uma pequena questão do cotidiano para resolver. Tudo depende do ponto de vista. Da maneira como você encara seus problemas.

A vida é uma sequência de obstáculos. Nos deparamos com diversas questões no dia-a-dia que fogem do cenário que gostaríamos que fosse o nosso cotidiano. Quase sempre as coisas saem diferente do planejado, pois muito do que realizamos não depende só da nossa vontade para se concretizar. Não temos o controle do que nos sucede, as coisas simplesmente acontecem. Quando criamos muita expectativa é ainda pior, pois quando algo sai muito diferente daquilo que almejamos, sentimos uma espécie de frustração por nossos planos não terem dado certo. É preciso ter consciência de que ele simplesmente não saiu exatamente igual ao que planejamos dentro de uma expectativa gigantesca da nossa parte. Pode ser até que tenha dado certo, mas não pela ótica de uma primeira avaliação derrotista.

E aí eu te pergunto: Você assume a responsabilidade sobre as coisas que te acontecem? Chama para si a questão de onde poderia ter feito melhor quando algo não saiu tão bem assim ou terceiriza culpas responsabilizando os outros sobre seus resultados? Quem joga a culpa pelos seus fracassos em cima de outras pessoas, viverá mergulhado num mar de lamentações e falta de perspectiva. A pessoa acha que a culpa da sua infelicidade está nas mãos de alguém e não percebe que é somente ela que define os resultados que a sua própria vida produz.

Infelicidade é um estilo de vida. Uma forma de olhar o mundo de maneira cinza. Em vez de aproveitar o momento atual, lamenta-se do que poderia ter acontecido. Pra piorar a situação, muitas pessoas se contentam com migalhas. Acham que a vida está boa, exceto por um detalhe. E esse detalhe faz com que nada mais funcione. Fica lá, incomodando, como uma pendência a ser resolvida, mas que é colocada num nível de dificuldade que é melhor não mexer. Preferem acumular frustrações, tristezas, mágoas e descontentamentos enquanto a vida passa como uma vela acesa que um dia irá terminar.  

Ora, se você está com alguém que te faz infeliz, livre-se desse alguém. Se você está num emprego que não te dá prazer algum em levantar de manhã para trabalhar, pense nos seus talentos, naquilo que você faz bem e vire o jogo. Busque o curso que te realiza. Entregue seu currículo naquela empresa que te faz feliz ao se imaginar trabalhando por ali. Quem sabe empreender? Criar seu próprio negócio? Saia da inércia. Faça alguma coisa e não fique esperando pelos outros, pois os outros estão ocupados demais cuidando de si mesmos. Acorde! Está na hora de revolucionar a sua vida. 

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

366

Primeiro de janeiro de 2016 e nos vemos diante de 366 dias de oportunidades de fazer tudo diferente para obter resultados diferentes. Um dia a mais de brinde no calendário para realizar ainda mais. Uma sensação de renovação e esperança se instala bem no meio do peito onde uma disposição para o novo surge como um energético potente capaz de provocar uma profunda reflexão.

Mas de nada adiante refletir sobre a vida, sobre os erros e acertos do ano que passou se não colocarmos ação nessa reflexão.  A capacidade que nós temos de nos reinventar e criar algo novo para nossas vidas é simplesmente fantástico e libertador.

Sem que você perceba poderá estar vivendo o mesmo dia 365 vezes e não os 365 dias do ano. Não precisamos carregar bolas de ferro acorrentadas em nossas canelas eternamente durante a nossa caminhada. Podemos nos livrar de tudo que nos atrasa e que não nos fará falta alguma. Para isso é preciso colocar o passado no seu devido lugar e criar algo novo todos os dias. Ocupar a mente com projetos e pequenos ajustes que vão nos melhorando com o tempo. Verifique quais as áreas que deverão ser ajustadas e comece a reorganizá-las. De nada adianta querer bons resultados se não fizer um bom preparo para obter isso. A única coisa que cai do céu é chuva. Você precisa agir em direção ao que deseja obter.

O futuro reside em qualquer decisão que você tomar hoje. Mas lembre-se que também ele pode residir na decisão que você não tomar hoje. Seja o criador do seu futuro. Permita-se novas possibilidades. Pense fora da caixinha. Fora dos padrões. Experimente o que ninguém experimentou. Sabe-se lá o quanto sua vida pode ser surpreendente. Liberte-se do passado. Ele não serve pra nada. O melhor ainda está por vir, pois com toda certeza você pode preencher as páginas em branco da sua vida de maneira que ela seja muito mais interessante. A caneta está em suas mãos. Adoro a frase do Lincoln: “No final das contas não são os anos em sua vida que contam. É a vida nos seus anos.” Então preencha a sua vida com aquela vida dos seus sonhos, pois como dizia Henry Ford: Se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer forma você está certo”.